quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Agosto

Dos seus olhos
aos seus pés
das pontas dos dedos, boca e pescoço...

Todo pedaço seu, 
me cerca e 
transborda
o peito e o juízo. 

Te apavora do tempo, 
o curto do dia
o lado da cama
O que passa e o que fica...

Te encosto de leve
o medo no peito,
Me apaga o tempo entre os dedos.

Me ajeita de lado o amor, 
Dorme...
E me acorda 
o verso 
e a vida.