quinta-feira, 12 de outubro de 2017

A poesia me vem como uma flecha 
a furar-me o peito,
curar-me do tempo.

me arremessar
e salvar 
o abismo de mim.