segunda-feira, 20 de junho de 2011

...Ignorar-se é apenas um desperdício.

Do altruísta ao egoísta...
Talvez não exista cura para o que somos.
Talvez porquê, não haja qualquer necessidade de cura.

Por mais que se queira,
quebrar espelhos ou cuspir em janelas,
não há nada de errado conosco,
tão pouco com o mundo... Nunca houve.

Nossos respectivos,
medos, limitações,
coragens,esperanças e corações...
... São; exatamente; como deveriam ser.

E, não há nada mais ingênuo,
do que apenas querer fechar os olhos,
por medo de enxerga-se.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Amassado

Quantas agora?

Eu apenas perdi as contas das folhas amassadas...

Mas, o que me incomoda,
não são as folhas.

Na verdade, nem ao menos sei o que me incomoda.

Se é o que sinto,
ou o que deixei de sentir... É o mesmo.

É apenas muito confuso agora.

E depois?

Não sei, acho que apenas passa.

O problema é o tempo que leva. Demora eu acho.

Urfh se pudesse fazer, com o que sinto,
o mesmo que faço com as folhas: amassar e depois;
simplesmente;
jogar fora... Seria tão mais simples.

Acho que sei o que me incomoda...

É te ver amassado assim dentro delas.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Nota

3 de junho de 2011

Sabe todas aquelas coisas bonitinhas, sobre amor, amizade e esperança que você quer escrever?Esqueça... São banais. Metade dessas coisas não passam de blá blá blá inútil e infantil que ninguém quer saber. E a outra metade... Algum outro idiota já deve ter dito antes, e muito melhor que você.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Reticências

Eu não sei o que deveria estar sentindo agora...
Pensar gera sempre, certo desconforto.
Não ter o que sentir, também... Mas isso não me interessa tanto assim afinal.

Arrumar os livros, que estão na mesa. Isso sim, me importa.

Pôr, cada coisa, em seu lugar,
me é assustador... Minha bagunça sempre me pareceu, tão mais fácil de entender.

Isso de tentar arrumar as coisas... Colocar sentimentos no lugar...
Se é que há um lugar, onde se possa colocá-los realmente...

Mas, quem falava em sentimentos...?
Falava dos livros e folhas, que preciso reorganizar...

O resto... Bem, o resto é apenas o resto. Já não me interesso.

É inútil...