terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Os dias estão simplesmente lotados

Os cães dormem ao sol,
gatos se espreitam pelas sombras

Crianças brincam de crescer,
em meio a vielas e sinais de trânsito,

Adultos tragam a vida aos maços sem perceber,
com a mesma displicência inocente,
de quem traga um cigarro depois do almoço,

E a terra continua girando calmamente,
completamente alheia a tudo,

E enquanto ela apenas gira,
eu apenas, 
permaneço assim, quieta, 
e secretamente,  apaixonada,  pela minha própria vida,

Rabiscando à toa, meia dúzia de versos,
enquanto a noite cai,

E lá fora os carros apenas continuam passando,
e pessoas apenas sonhando, esperando que amanheça,

E os dias vão, um a um, morrendo e nascendo assim ,

...  Tão absortos, e completamente alheios a tudo também.

sábado, 28 de janeiro de 2012

Me sinto um pouco mais entediada do que estava, a dois minutos atrás.

Acho que só estou um pouco mais cansada da minha própria cara agora...

Cansada dos meus versos e das minhas reclamações, sempre tão previsíveis.

E a essa altura do dia, ninguém parece interessado ou interessante o bastante pro meu tédio.

E nem mesmo, as minhas musica preferidas, têm dado conta de me satisfazer...

Acho que é esse tempo chuvoso, que me deixa assim,
uma pessoa aborrecida e bastante rabugenta...

É isso sim... É culpa do tempo.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Simplesmente escreva

Honestamente, acho que minto.

Minto sobre todas as cosias que escrevi,
e minto também ,
sobre todas coisas que ainda não escrevi.

Minto quando digo que não me importo com a poesia,
ou com o que faço dela, ou o que ela faz de mim,
não sei ao certo...

Mas a verdade é que não há uma receita para se fazer um escritor, ou um poeta,

Pois um bom poeta precisa antes ser um bom humano,
e não há uma receita neste mundo que ensine como se fazer um bom humano.

E ser um bom humano nada tem a ver,
com velhas concepções de bondade e beleza,
embora elas existam e façam algum sentindo nesta vida... Não é disto que falo.

Ser um bom um humano... Não sei ao certo o que seja, ser um bom humano.

... Não  sei o que seja ser um humano de qualquer espécie.

E não sei também do que me valeria ter essa resposta.

O que te fará um bom poeta?

Ter as melhores repostas?

Não é preciso que você tenha resposta alguma...

E não se trata de álcool e cigarros... Embora você possa fazer uso deles se quiser.

Mas talvez, se trate sim, dos teus vícios.

Pois se trata de quem você é.
E do que você sente.

Não; se trata de como você se sente, sobre você mesmo,
e todo o resto das coisas.

Por tanto não se trata de técnica ou da falta dela...
E tão pouco, se trata de frequentar saraus, e recitar poesia. Trata-se de apenas vivê-las.

E talvez ser poeta seja egoísta, mesquinho, e até muito solitário.

Mas com o tempo isso tudo também se torna muito irrelevante,
porque você descobre toda a riqueza que se esconde,
por trás desses pequenos defeitos.

Porque no fundo ser poeta requer apenas uma boa dose de paixão e coragem, mais nada..

Afinal, cedo ou tarde, você simplesmente, acaba tropeçando,  sem querer,
em  toda a vida que existe dentro de si mesmo.

E embora isso te machuque, essa vai ser a melhor, de todas as tuas quedas.

O que te fará um bom poeta?

Honestamente, eu não sei... E isso é o que mais me agrada.

Se quer saber, simplesmente escreva.

sábado, 14 de janeiro de 2012

meus sonhos foram claros e calmos,
como essa noite, também será.

e até aqui,  todos  os anos vão passando meio iguais por mim...
mas isso na verdade não importa...

o ar parece leve agora,
mas os dias,
vão ficando cada vez mais pesados.

e eu já não tenho mais nenhuma,
das minhas antigas certezas,
para me fazer companhia...

não conto historias,
mas talvez,  ainda queira contar estrelas,

e quem sabe eu ainda tenha tempo, de apanhar uma ou duas,
pra guardar na minha mochila, junto aos  meus rabiscos, cansaços, e os teus versos...

... antes que essa noite acabe,
eu apenas desenharei uma estrela com os teus versos.