sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Vamos dançar no meio da estrada,
passos tortos demais, até acertamos o compasso dos nossos  pés...

As pessoas rodopiam à toa,
vida a fora
isso não é importante...

Me tire pra dançar,
ao som de alguma cantora dos anos 60.

Amanha fará sol ou chuva...

E o som do dia vai
romper com a minha tranquilidade.

isso não é importante também...

As pessoas rodopiam pela vida,
tontas,
e sozinhas,

Respirando todo o monóxido de carbono dos escapamentos,
querendo,
e escapando de suas casas,
pra dançar na sombra de uma lua cheia.

Vazias,
passos trocados,
acertando nossos desencontros,
dentro e fora do compasso...

Ritmo quase lento
no apressar e apertar
do pé e do peito descalço...

Há fumaça de cigarros impregnados na gola das camisas e vestidos de festa,

Isso não é importante,

Enquanto houver musica...

Ah, enquanto houver música...

Silencie tristeza,
e
dance,
tonto e torto
na sombra de qualquer lua cheia...

Vamos dançar no meio da estrada,
passos tortos demais
até acertamos o compasso dos nossos  pés...

Isso nem importa tanto assim,
rodopia, 
rodopia noite a fora...

Um comentário:

  1. Mirtes,
    "Há fumaça de cigarros impregnados na gola das camisas e vestidos de festa"

    quase perdi o fôlego aqui.
    acho que vou até pegar emprestado, posso?

    nem preciso dizer que gostei rs

    ResponderExcluir