terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Os dias estão simplesmente lotados

Os cães dormem ao sol,
gatos se espreitam pelas sombras

Crianças brincam de crescer,
em meio a vielas e sinais de trânsito,

Adultos tragam a vida aos maços sem perceber,
com a mesma displicência inocente,
de quem traga um cigarro depois do almoço,

E a terra continua girando calmamente,
completamente alheia a tudo,

E enquanto ela apenas gira,
eu apenas, 
permaneço assim, quieta, 
e secretamente,  apaixonada,  pela minha própria vida,

Rabiscando à toa, meia dúzia de versos,
enquanto a noite cai,

E lá fora os carros apenas continuam passando,
e pessoas apenas sonhando, esperando que amanheça,

E os dias vão, um a um, morrendo e nascendo assim ,

...  Tão absortos, e completamente alheios a tudo também.

7 comentários:

  1. "E os dias vão, um a um, morrendo e nascendo assim,

    ... Tão absortos, e completamente alheios a tudo também."


    Muito, mas muito bom!

    ResponderExcluir
  2. Uma reflexão sobre os que nada refletem, a não ser o tédio de viver neste mundo infeliz.

    ResponderExcluir
  3. vc é tão simples e bela escrevendo, é muito bom ler-te.

    ResponderExcluir
  4. Estamos sim em uma época de tédio mas há talvez algum horizonte que passa despercebido
    beijos mirtes

    ResponderExcluir
  5. "Crianças brincam de crescer", esse é o grande erro do ser humano, brincar de crescer...não acha?

    ResponderExcluir
  6. E nascendo assim, os dias vão reconstruindo alguma coisa em ti, em mim, nesse nós que se depara com uma necessidade
    de glória, que sempre no redireciona à bem viver ...
    Eu gosto dessa essência critica, mas adoro descobrir na poesia, muitas formas de empreender. Quando tu tiver uma ideia sobre isso(ja que tu é muito boa em criar) me avisa.
    Um bom domingo.

    ResponderExcluir
  7. isso é encarar o dia e tirar lindas palavras,vc questiona e explica de forma a nos acalmar em cada linha. gostei de verdade mirtes

    ResponderExcluir