terça-feira, 8 de dezembro de 2015

os livros atrasados da biblioteca,
a porta quebrada da sala 7 na escola,
a minha janela aberta,
os carros
e a chuva
que molha dentro e fora...

teus olhos de engolir paisagem,
olhando por trás da minha nuca,
meus dedos cumpridos
de unhas ruidas,
roendo tempo por detrás da tua nuca. 

tudo é verso a me escrever e esquecer.

tempo a me diluir
e secar.

gosto de fim na ponta da língua,
gozo
e  choro 
quentes
no canto da tarde.

amor, é só outro verso a escrever e esquecer.

2 comentários:

  1. Os olhos que engolem paisagens te engolem, acho que te ler é isso, e engolir e gostar, da paisagem ...

    ResponderExcluir