sábado, 17 de março de 2018

Tenho falado
com todos os meus silêncios,
e tem qualquer coisa de muito bonita
em simplesmente silenciar.

Eu tenho
espiado a vida pela fresta da janela,
e toda a luz que entra
me enche os
olhos e a sala
do teto ao
chão,
Transborda
e me afaga no oco do peito.
o inacabado do poema,




Nenhum comentário:

Postar um comentário