sexta-feira, 8 de maio de 2015

medianeras

fecho as janelas e visto o casaco...

acordei sem saber se era ontem,
hoje,
ou anteontem.

é  só um desses desiquilíbrios modernos...

eu tenho medo de alturas,
escadas rolantes,
amor e
elevadores.

e isso também não é nada anormal.

passei dois pontos depois do que eu deveria descer,
tá frio pra caramba,
e eu gosto um pouco menos da minha cara nas sextas de manhã... (hoje é sexta)

acordei sem saber se era eu
ele
ou ninguém...

entendo de mim tanto quanto uma minhoca  deve entender do mar...

há um abismo imenso 
entre existir 

poesia.

salta. 

todo o resto há de ser tão irreal quanto tudo. 

ainda tá frio pra caramba, 
abro a janela 
e tiro o cachecol...

meu coração é  pouco menos ou pouco mais 
que verso, abismo e janelas. 

salto. 

2 comentários:

  1. Tu me faz estar entre dois mundos, quando te leio. Eu nunca sei onde estás, espero que numa dimensão onde eu possa te sentir, ler e crer
    que teus poemas sempre vão estar no lugar certo em minha mente e coração.
    Saudações.

    ResponderExcluir
  2. Cara... Parabéns! Esse poema ficou foda!

    ResponderExcluir