terça-feira, 17 de janeiro de 2017

são dias difíceis de escrever,
ver,
ou sentir...

o nada,
que me esvazia,
o corpo,
a mente e a alma...

me preencho no peito,
e a folha
de coisa nenhuma.

afundo minha cabeça no travesseiro.

afundo meus olhos no vazio do quarto,
e da vida.

há um intervalo na minha consciência,
um bloqueio,
feito,
buraco e vazio,
na vida e no peito.

3 comentários:

  1. E tu me enche o peito de tanto, que nem respiro. Te leio e releio e quero sentir cada coisa tua como se fosse minha, mas não é: porque cada coisa tua, confessada em palavras ou frases, é só uma parte do que você sabe descrever.
    E por favor! Para de fumar ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não que eu ache que isso faça alguma diferença, mas tem uns dois anos que não fumo...

      Excluir
  2. o bom do vazio é que dá para se preencher do que bem se quiser.. só basta encontrar essa fonte divina e criativa no nosso coração

    ResponderExcluir