terça-feira, 13 de abril de 2010

Sentido... Sentindo

Que razão há em qualquer palavra?

Que razão haveria de existir na essência de qualquer palavra?

Esperar sentido em uma palavra,
é como esperar que se faça sentido aquilo o que se sente.

Esperar coerência em verso,
é como pedir ao sol que explique o porquê de seu calor,
é como pedir ao céu que explique o porquê de seu azul.

Não saber o que respiro me faz parar de respirar?
Não, pois o ar não se importa em ser explicado.
Ele apenas quer ser sentido.

Como o sol quer apenas aquecer,
e o céu quer apenas ser azul.

A Terra não pára de girar por alguém não saber o que a faz girar,
Pois, nem mesmo ela, sabe o que a fez girar, apenas gira, gira e gira... Completamente ignorante a respeito da própria rotação.

Por que então, devo eu, buscar sentido,
nas palavras que escrevo?

Por acaso a pedra deixa de ser pedra por não se saber pedra?

E a poesia deixa de ser poesia por não se saber poética?

Do que me valeria encontrar alguma coerência,
alguma coesão, ou até mesmo, algum sentido nas palavras,
se nem ao menos a vida possui algum?

Do que me valeria buscar sentido na poesia,
quando o que realmente importa não é entendê-la ,
e sim senti-la, e tão somente, senti-la?

3 comentários:

  1. muito bom como sempre mirtez vc é dez
    faz poemas boms quando esta entediada
    só tenho medo q alguel tente se matar depois de ler

    ResponderExcluir
  2. Caracaaaaaa muitooooo bom....
    Ta de parabéns...quando ficar famosa vou poder dizer....Li as primeiras linhas que ela escrevia na escola rs...
    Parabéns Mirtes....

    ResponderExcluir
  3. Os sentidos nos enganam,
    Mas sentimos mesmo assim.
    E são eles que comandam,
    Todo o sentido de estar aqui.

    ResponderExcluir