segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Além da Superfície

Como é difícil explicar tudo aquilo que se pensou, mas não se verbalizou
Tudo que se disse ,
Que se disse em silencio,
Sem pronunciar palavra alguma,
Tudo aquilo que se disse com os olhos,
Com as mãos,
Com os pés,
Com os sorrisos,
Com os gestos
Tudo aquilo que se disse usando apenas o som do silencio ,como porta voz.
Tudo aquilo que se disse com o silencio,
Pois a voz não seria capaz de dizer,
E apenas serviria para deturpar a real essência daquilo que se queria dizer.
[A real essência da palavra que se queria pronunciar]
Apenas serviria para fazê-la perder-se entre timbres e tentativas mesquinhas de verbalizar, aquilo que não foi feito pra se pronunciar.
Pois quem seria capaz de descrever um pôr-do-sol ,sem fazê-lo se perder dentro da própria voz?
Dentro do abismo que pode ser a própria voz?
Dentro do abismo que pode ser o próprio pensar?
Quando penso em dizer,o que ainda não disse,
E quando finalmente deixo minha voz pronunciar o que antes era apenas uma idéia,um pensamento,
Perco a sua pureza,
E o que antes era tão verdadeiro,
Passa a ser falso ,vazio,banal e até mesquinho.
Que bom seria poder verbalizar um pensamento,uma emoção,uma idéia ou qualquer outra coisa...
Sem ,contudo,deixar que se perca a essência ,tão profunda e tão rara,
Que se esconde por trás da superfície ,tão rasa e tão barata, de uma palavra.

Um comentário:

  1. Você sempre consegue ir além da superfície com seus textos.Parabéns!

    ResponderExcluir