sábado, 17 de dezembro de 2011

... Eu falaria aos meus  próprios botões,
se acaso tivesse algum agora. 

Mas não os tenho. E acho que mesmo eles, não iriam querer me escutar.

Um verso, uma folha amassada,
e tantas outras vazias... E eu, amassada ou vazia?

Talvez as duas coisas, talvez nenhuma delas.

Noites de sábado... Não. Eu e as noites de sábado,
e os domingos,
e as manhãs, e as segundas...  Nada a dizer.

5 comentários:

  1. "Um verso, uma folha amassada,
    e tantas outras folhas vazias... E eu, amassada ou vazia?"

    Muito meu esses versos,
    muito nossos.
    cheios de emoção
    vazios na solidão.

    ResponderExcluir
  2. Só os poemas dizem. Deixe os poemas dizerem e está por demais excelente. Abraços!

    ResponderExcluir
  3. http://www.youtube.com/watch?v=hw0A5o7uqJo

    ResponderExcluir