terça-feira, 16 de agosto de 2011

Suponho não existir qualquer razão para o que fazemos...

Apenas sentimos qualquer coisa,
que não se explica ou se define por completo.

É um tanto abstrato,
e certamente, muito vago,
insipido,e até, meio vazio às vezes...

Somos o resultado de uma soma qualquer de... Não é matemática.

Por mais que se tente não há;
nem a haveria o porquê de existir;
uma explicação em que coubéssemos,

Nada é capaz de explicar tudo o que mora em qualquer peito:
todo o nosso vazio, alegria,
medo, amor,
esperança,
dor... Nada é capaz de conter todo o nosso caos.

Sentimos, e apenas sentimos. Nada mais importa.

4 comentários:

  1. Matemática, até é. Só que o Contador erra sempre nas contas... Ainda bem, né?

    ResponderExcluir
  2. Acho que no fim das contas "sentir" é a maior desculpa que se pode dar para o que se sente mas que não tem explicação...o que será esse sentimento que nunca ninguém conseguiu explicar?
    Que ânsia!

    ResponderExcluir
  3. "Sentimos, e apenas sentimos. Nada mais importa."

    É como eu me sinto!

    Valeu Mirtz, um abraço!

    ResponderExcluir
  4. Existir...
    Sabe, estava voltando do trabalho enquanto me veio o que seria a morte. Pela primeira vez na vida pensei que ia chorar por uma razão tão...(!). Encontrei o maior vazio que poderia sentir. Insipido, muitas vezes vazio?
    Acho que tudo faz parte de uma razão. Ou do destino. Matemática foi criada pra brincar de probabilidades.
    Talvez morremos o tempo todo.
    Ou nunca existimos.

    Belo blog.

    ResponderExcluir