segunda-feira, 30 de julho de 2012

minhas unhas ruidas,
a cara de sono,
o cabelo por pentear,
tênis sujos,
e até as teias de aranha no teto do meu quarto 
permanecem iguais...

inalteravelmente irrelevantes
e
entediantes.

os meus dias vão ficando cada vez mais 
abstratos,
e sufocantes

vinte e um anos,
de uma vida sem grandes lembranças,

e sei lá quantos versos inacabados
que permanecem 
quietos 
em cima da minha mesa 
se revirando
pelo meu corpo todo...

e eu mesma,
quieta e inacabada,
a me 
revirar,
pelo meu quarto todo,

como quem procura,
um sei lá o que...

e se calhar,
esse sei lá o que, sou  eu mesma,

nas minhas unhas ruidas,
na cara de sono,
no cabelo por pentear,
e em todas 
as outras ladainhas, 
tão minimas, e tão  minhas.

sim, sou eu mesma.

a questão é:
e daí?...

Um comentário: