sexta-feira, 25 de março de 2016

me falta um rosto pra reconhecer no espelho...

o que eu tenho já não me cabe mais a face pálida e magra,
de tão pouco ou nada, que tenho a  expressar.

me deixo pelo descaminho do tempo,
e tempo,
e tempo, e tempo... temo.

não me vejo nas  horas.

sem folha,
caneta ou verso...

o melhor poema que escrevi essa semana,
e talvez, em qualquer outra semana,

seja mesmo a folha em branco que deixei por rabiscar...

pois sim.

cento e nove rascunhos,
amassados pelo peito,  
que me ficam ao verme do meu tédio.

nada mais.

me falta um verso,
pra me reconhecer nas linhas...

me ficam ao verme.


e tudo mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário