sexta-feira, 15 de julho de 2011

(por acabar)

Permaneço um absurdo.
Totalmente irrelevante e indiferente,
ao que está ao redor.

São as mesmas horas:
velhos ou novos dias.

Sem qualquer resposta, a qualquer pergunta...

Fico em mim,
com os devidos começos,
meios e fins.
Sem qualquer linha a escrever,ler ou apagar.

Eu.
Apenas,eu,inacabada (três pontos) e... 
                                                    [fim.

4 comentários:

  1. Apenas você na solidão das palavras
    nessa imensidão de pensamentos inacabados
    amedrontados, lutando por realidade
    dentro de sua enorme personalidade.
    Linhas que se cruzam por palavras faladas
    nada mais do que a sua alma solidificada
    dentro de nossas mentes.

    ResponderExcluir
  2. E é isso aí.
    E sim, o desenho foi feito por mim.

    ResponderExcluir
  3. Todos nós somos inacabados.... felizmente.

    ResponderExcluir
  4. Um poema existencial.. não, um poema inexistencial? talvez, os dois ou nenhum, assim como nós.

    ResponderExcluir