sábado, 5 de março de 2011

Urfh...

Eu chego em lugar nenhum e digo,
com o coração entalado na garganta,
e as mãos suando:

Sirva-me um pouco mais de nada, por favor...
Que este tudo já está me girando à cabeça.

Sobe-me um cansaço do tamanho do dia.
Mas, o dia não é, assim, tão grande...

Invade-me uma angústia,
mais velha que alma.
Mas, minha alma é nova...

Tenho tanto medo,
tanto medo...
Mas, nem conheço o meu medo.

Sinto uma falta imensa dos teus olhos,
Mas eu nem sei a cor deles...

Sinto uma falta tão grande de tanta coisa,
e, nem sei o que é tanta coisa, afinal...

Sinto,sinto,sinto...

Sei lá o que sinto.
Se é frio ou calor,
amargo ou doce,
gradual ou instantâneo...

Sinto.
Só sei que sinto,
mesmo quando não sinto,
eu sinto!

 Urfh...

...Por favor, me sirva
um pouco mais de nada,
que esse aqui ,já tá (me)acabando.

Sirva um pouco de mim,
que esta aqui já está...


Ele me olha,calmamente,e diz:

-O café acabou,
volte amanhã.

Urfh,acho que os seus olhos são castanhos...

3 comentários:

  1. Um pouco mais de nada pode ser servido?
    abraços

    ResponderExcluir
  2. Olhos castanhos!
    que desconcertante desfecho. olhos castanhos sempre dizem muito, mas sou um pouco suspeito em dizer isso rsrs

    ResponderExcluir
  3. Escrevi um comentário enorme e perdi.

    Foda-se!


    Adorei tudo isso aí em cima. Abraços!

    F.

    ResponderExcluir