terça-feira, 18 de outubro de 2011

Pra deus abençoar

Pois é deus, têm jeito não...

E eu que achei que fosse leve,
olhei pro sol, e não vi o céu,

se anunciar em tempestade;
que antes do sol, tinha chuva ainda,

... E ainda,  têm  quem diga,
que há de se encontrar no tempo,

Força pra secar no choro,
o que deus, no riso, não abençoar...

Sei não,
mas agora tanto faz...

Amor assim, têm jeito não,
depois que voa,
já não quer mais cantar,
e a vida leva,

Perto daqui, ou no lado de lá,
não fica nada, por se contar,

Mas não têm nada não...

Deus há de abençoar,
o que na solidão, a vida leva ...

Leva daqui o tempo, no vento,
e trás a paz, e em paz,
deus há de abençoar...

Tristeza assim depois que voa,
têm jeito não, deus abençoa... E a vida leva.

7 comentários:

  1. Olha, achei diferente esse poema, não ruim, mas diferente, acho que quem tem em si qualidade nunca produz algo sem.

    "E eu que achei que fosse leve,
    olhei pro sol, e não vi o céu,

    se anunciar em tempestade;
    que antes do sol, tinha chuva ainda,"

    Ah, isso aqui diz muita coisa! ao meu ver, claro!

    ResponderExcluir
  2. "Amor assim, têm jeito não"

    "Amar-te é melhor que ser Deus." Castro Alves

    ResponderExcluir
  3. que lindo! Lendo até tira um pouco do medo da parte "deus abençoa... E a vida leva."

    ResponderExcluir
  4. Se o diabo amaldiçoar...

    ... nada acontece, também...

    ResponderExcluir
  5. Abençoa nada... É voce quem se abençoa..

    ResponderExcluir
  6. E eu tão ateu achando tudo tão lindo.

    ResponderExcluir