segunda-feira, 30 de abril de 2012

lá fora as pessoas passam,
tão alheias a tudo,
perdidas nos seu cansaços, 

esfregando as mãos com força por causa do tempo frio,
procurando qualquer calor, na ponta dos próprios dedos...

mas aqui dentro faz um tempo ameno,
e não me importo tanto assim com as pessoas lá fora...

talvez eu seja egoísta demais pra isso,
e talvez não faça diferença nenhuma...

lá fora faz frio,
e as pessoas congelam até morrer,

eu sei que sim...

deus...
elas congelariam mesmo aqui dentro.

morreriam lentamente,
cuidadosamente,
congelando... congeladas...

eu sei que sim.

lá fora as pessoas congelam sozinhas,
alheias a tudo...

e aqui dentro... eu congelo sozinha também.

deus...
eu congelo também.

eu sei que sim...

e isso não faz diferença nenhuma,
para nenhuma delas.

eu sei que não...

3 comentários:

  1. É, você ta certa. Mas estar certa também não faz diferença nenhuma.
    Agora, sentir! E saber que isso não tem fim,à mim parece claro, faz diferença sim.
    Lindo poema, congelei em contemplação ...

    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  2. Quando olho nos teus olhos
    Não vejo a luz do amor
    Só as sombras do passado
    Só um fogo que se apagou
    A vida é assim
    Nosso espelho se quebrou
    É hora de se guardar
    Um segredo no coração

    (refrão)
    Se chove lá fora
    Queimo aqui dentro
    De vontade de te abraçar
    Amor
    Quando chove
    Fica mais triste esperar
    Por alguém
    Que não vai chegar

    Quando ouço teu silêncio
    Escuto meu coração
    Bater apressado e urgente
    Te querendo sem querer
    Cansado de sofrer
    Mas agora já é hora
    Dessa chuva ir embora

    ("Quando Chove", Patrícia Marx)

    ResponderExcluir
  3. Nao se importe com as pessoas. Sao todas pessoas, portanto sao todas indiferentes umas as outros. Como peixes conjuntos num aquario, porem independentes e individualmente solitarios.

    ResponderExcluir