quinta-feira, 28 de abril de 2011

Quase conto

[Para: Lucas C. Quoos

Falava sobre um quase conto que não conseguia terminar de escrever,olhando atentamente para a tela do computador, só olhava... Por mais que eu  tente as mãos já não percorrem as teclas como antes.Ele,me falava de alguém que ainda não conseguia esquecer.O ouvia,e pensava na minha própria saudade,mas saudade de quê...?

-Não sei acho que é algum tipo de bloqueio...
-Às vezes quando não se tem mais o que escrever é melhor colocar um ponto final e terminar por ai mesmo,devia tentar isso.Disse ele.É escritor, poeta,ou amigo,qualquer  coisa do tipo...

-Ah,na próxima vez eu tento...Minha cabeça está muito confusa pra escrever, qualquer coisa mesmo.

Estava com os olhos fixos na tela,em branco, não ela... Eu que estava em... Poeta... Mas quem não é poeta hoje em dia?

-É... eu sei que você anda confusa.
-Como sabe?
-Ando  percebendo isso a algum tempo já...
-E como percebeu não sou, assim, tão transparente.
-Mas eu percebi.
-Hum...
-Precisando...
-É, eu sei, isso vale pra você também.

A conversa não foi muito além. Não que ela tivesse muito para onde ir também. Afinal, diálogos são tão... Inúteis. Além disso, é sempre muito vago, isso de tentar dizer seja lá o que for a alguém, mesmo que não seja nada... As coisas sempre ficam pela metade,e é melhor...

Colocar o ponto final,como você me disse. Por hora.

4 comentários:

  1. Obrigada pela visita...virei sempre te ler...bjs

    ResponderExcluir
  2. Adoro a maneira como vc se expressa!!!

    ResponderExcluir
  3. É, quando diálogos são inúteis, melhor tocar a cara do que se sente.
    Verdade é, se você não sabe o que esperar, melhor ir buscar ...
    Claro! Isso, quando você sabe, e se puder. Parece matemática, que por sinal ... Fui mal!

    Beijão, Mirtes.

    ResponderExcluir