domingo, 2 de janeiro de 2011

Rascunhos de nada, Ou o que ficou por terminar

I-Uma madrugada qualquer

Tudo tende ao tédio, casualidade, inutilidade e indiferença.
Somos todos filhos de Deus,
Deus é o tédio,
Herdeiros disso tudo que nada será.
Do pó vinhemos,
Ao pó retornaremos,
Entediados e sozinhos,
Feito crianças,
Ocos até o fim.

II - Infantil

Brinca, brinca criança tola,
De se entreter com o vazio, assistindo a tua t.v desligada,
Enquanto namora a solidão que se sentou ao teu lado no sofá.
Brinca, brinca criança tola,
Brinca de se esquecer,
Que à hora de adormecer não demora a chegar,
Brinca, brinca minha criança,
Que a dor já vai passar,
E o teu dia há de amanhecer.

III - Sem título

Estou roendo as unhas,
Enquanto penso em coisa nenhuma.
Rabiscando uma linha sem direção alguma,
Que vai me levando de encontro à imensidão,
Que se esconde nas entrelinhas dos versos que escrevi pra solidão.
Perco; então; o que me restava da razão,
E faço rimas pobres,
Pra me esconder a insatisfação.
Estou roendo a unhas,
Roendo as unhas simplesmente,
E soltando frases incoerentes...

IV-...
É só vazio,
Saudades de nada,
Angústia,
Incertezas e repetição atrás de repetição:


V- Só mais um verso repetido

Estou mastigando angustia,
Abraçando a solidão,
Vomitando insatisfação,
Me cortando com o papel,
Me ocupando com o vazio,
E me entretendo com o nada.
E, enquanto escuto o silencio me dizendo:
Tudo tende ao tédio; minha cara;
Ao vazio e a solidão.
É tudo o que resta;
Uma sucessão de casualidades sem razão nenhuma de ser.
Somos a geração do tédio,
Herdeiros disso tudo que NADA NUNCA SERÁ!.
Ai!;
Me corto mais uma vez com a folha de papel.

VI-Eu não sei costurar

Estou rascunhando,
Costurando com os meus versos velhos,
Um emaranhado de coisa nenhuma,
Uma concha de retalhos,
Com os trapos de tudo aquilo que não me restou.

VII- Por fim, uma reflexão qualquer

E, isso; de escrever;
É também, extremamente entediante e vazio...
Mas, o que não é assim hoje em dia?

2 comentários:

  1. Pô, esses seus textos estão cada vez mais líricos, Mirtz, cada vez melhores...

    Mas, muita coisa pra mim ainda não é entediante, tipo jogar videogame
    aehuaehaeuhaeuaehaeuheauhaeuah

    ResponderExcluir
  2. Olá Poetiza!
    começastes bem este ano! cada verso é mais que rascunhos, são anseios livres! nunca deixe de respirar esta arte que é de viver, de escrever e de ser vc!
    Busque sempre atravessar as janelas do seu ser! Alimente estas linhas com o que há de melhor da poesia moderna!
    valeu!

    ResponderExcluir