sábado, 19 de fevereiro de 2011

21:08

Vamos tirar um pouco de claridade,
dessa escuridão; que se faz dentro;
das minhas inquietações.

Sim,por favor, façamos isso.

Tenho dormido pouco,
e me alimentado pior.

Oras,e quem se importa? 

Carreguei o meu révolver 
de balas feitas de mim mesma,
e, vou atirar(-me) daqui;
em mim.

Devo me abaixar?

Não; deve levantar-se,
e acompanhar-me.

E por onde vamos?

Por entre os meus pensamentos,
confusões,arrependimentos,
incoerências,
e tudo o mais
que me(a)tirar,
o sono.

Pois,sim,façamos isso,por favor.

Devo atirar,então,

Quem sabe ,depois,
eu consiga respirar(-me) melhor.

Ainda tenho um pouco de fé,em mim,afinal...

                BUM!!!

Atirei;
palavra;que atirei(-me)!


Amanhã, eu limpo os restos...

4 comentários:

  1. Olá
    gostei do que é proposto em teu blog, o estilo informal e bem trabalhado, a suposta confissão de um eu lírico encantador.

    seguirei esperando o melhor daqui! abraços e agradeço pela visita carinhosa em meu blog, beijos!!

    D.Machado

    ResponderExcluir
  2. É, amanhã é um hoje que por enquanto não é, embora muitas vezes, quiséssemos que fosse.

    Gosto, quando você faz de tudo, um achado.

    Bjo no coração.

    ResponderExcluir
  3. Adoro estes seus rascunhos!

    empatia e até!

    ResponderExcluir