quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Sou absurda

Eu vivo dentro de mim mesma, 
em uma mente cheia de espaços em branco,
que se desenham nos meus pensamentos.
Em meio a um fluxo constante e sufocante,
que me inventa  devaneios diários.

Vejo as  cores ofuscadas do meu  estrabismo:
o mundo de cores apagadas,
imagens borrando a minha percepção...

Meus olhos fitos no vazio,
distorcem-se em  imagens que não sei se vejo,
ou  invento.

Meu peito aberto,
é abrigo constante de coisa nenhuma.
Meu coração é como uma folha em branco ,
que alguém arranca e amassa antes mesmo de preencher... E,isso nem me incomoda mais.

O vazio bate, quieto, no meu peito ,
e,eu, o deixo entrar; sem cobrar-lhe a senha.
O resto não.

Construo coragens,
enquanto  medos me corroem e desconstroem,
são,como as cicatrizes,
que se fecham,
enquanto cuido de abrir(-me) novas feridas,
só para ter o que cutucar durante o tédio.
E isso,nem me parece tão ruim assim.

Mas,às vezes me assusto,
com a minha própria indiferença.
Mas, ela, também me é indiferente...

... Sou irrelevância,afinal.

Os meus pés caminham,
pelo chão,
em vão, ou não...
E, eu, caminharia mesmo que não os tivesse:
Os pés e o chão,
dentro do vão que é sentir-se vivo, ou não,

Tenho uma fé profunda e clara,
em tudo que não creio.
... Acho que tenho lido Nietzsche demais.

Tenho amigos,
que se encontram, e se resumem,
em folhas de papel...

Tenho um gosto, muito, apurado para o nada.
E, isso é sempre muito mais do que  preciso...
...Tenho lido, e sido, Pessoa demais.

E,amanhã,
quando abrir os olhos,
limparei as remelas; simplesmente; limparei.

Eu sei, isso é absurdo.

6 comentários:

  1. Absurdamente maravilhosa!
    Asssustadoramente envolvente, com essas palavras que trituras e sopras, na solidão da gente.
    Acho que semeias uma poesia que arde e purifica,
    não sei dizer, e talvez não saber seja tudo o que explica.

    bjo no coração.

    ResponderExcluir
  2. Profundo teu eu, que devo dizer se identifica com o meu, me perdi em delírios nas tuas palavras.

    Surpresa boa ver que é de Curitiba, eu tb ;)

    ResponderExcluir
  3. Tentei lembrar de alguém para comparar contigo, e ninguém me vem a mente. Tu simplesmente coloca as palavras em um revólver, e atira.
    Perfeito, amei, quero te conhecer...

    ResponderExcluir
  4. Eu me identifiquei com o blog. Vou seguir.

    ResponderExcluir