segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Em 11 linhas

Eu acordo tarde...

Não vou insistir nessa falta de assunto.

Não tenho muito que lhe dizer,
Dizer é sempre tão vago...

Será, assim, amanhã também.

Me pareço com qualquer coisa,
que não se parece com nada.
E me cansa tanta incoerência,
me entedia tanto nada.

Não ter o que sentir,
é sempre tão ardente, não é mesmo?

2 comentários:

  1. 'Não ter o que sentir,
    é sempre tão ardente, não é mesmo?'
    putz, com certeza.
    e o pior é que não passa, e se passa, sempre volta..
    muito bom! gostei!

    ResponderExcluir
  2. Não ter o que sentir,
    é sempre tão ardente, não é mesmo?'

    O engraçado é que se tiver algo pra sentir, também vai ser algo ardente... Porém as dores são diferentes, são opostas...

    seu texto é muito bom

    parabéns

    ResponderExcluir